A Lei 10.216, de 2001, legalizou a internação dos dependente químicos para reabilitação no Brasil. Este código preconiza que pacientes com transtornos mentais causados pela drogadição sejam tratados com humanidade e respeito a fim de beneficiar a saúde; fazer a ressocialização do paciente em seu núcleo de apoio familiar e social; proteger o paciente contra formas de abusos e exploração; exige o parecer de um médico para validar a necessidade ou não da hospitalização involuntária.

A internação para o tratamento da dependência química pode ser de três tipos:

  • Internação voluntária, em que o próprio paciente solicita ajuda;
  • Internação involuntária, em que o paciente não quer o tratamento mas um terceiro pede pela interdição;
  • Internação compulsória, definida pela justiça.

As internações para tratamento de dependência de drogas visam afastar o indivíduo de um meio social favorável ao contato com o vício, enfrentar a fase de abstinência com o suporte técnico e emocional necessário, restabelecer a saúde do paciente através de medicação, bons hábitos alimentares e prática de atividades físicas, e de o conscientizar  sobre a doença a medida do tempo, fortalecendo sua esperança em uma melhor qualidade de vida longe da droga.

Como é realizada a internação para dependências químicas

As internações podem ser feitas em via pública, pelo SUS, ou por via particular. No entanto, a via pública se encontra deficitária em estrutura especializada para estes casos, bem como faltam especialistas para acolher estes pacientes. Portanto, as internações em clínicas particulares têm sido o meio de tratamento para dependentes de diversas drogas.

O tempo de internação varia de caso para caso, bem como a abordagem terapêutica. Durante o período de residência em uma casa de reabilitação, é interessante que o paciente tenha acesso à uma equipe multiprofissional de médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos, enfermeiros, especializados em tratamento de dependência, pois só uma equipe com diversas habilidades trará um resultado positivo para o paciente.

O médico determinará o tempo de internação e prescrições terapêuticas, enquanto a enfermeira faz os cuidados diários, a psicóloga faz a reestruturação emocional do paciente e de sua família, as nutricionistas ajustam a dieta mais adequada e nutritiva para melhorar a qualidade de vida do paciente e os educadores físicos fomentam a prática esportiva durante o tratamento, que minimiza os sintomas de abstinência do vício.

Depois da internação, o paciente precisa fazer um acompanhamento contínuo com estes profissionais, sendo monitorado física e emocionalmente, para que se mantenha sóbrio ao longo do tempo, mesmo não estando internado na clínica. Aos poucos, com o apoio de profissionais especializados e da família, o vício pode ser superado e a vida do paciente pode ser retomada.

Internamento para reabilitação em Curitiba

A Casa Liberdade, centro especializado na reabilitação de dependentes químicos, trabalha com o internamento voluntário, ou seja, aquele em que o paciente permite, por livre e espontânea vontade, o internamento para recuperação das dependências químicas.

Precisa de ajuda? A Casa Liberdade, clínica de reabilitação para dependentes químicos em Curitiba oferece tudo que o paciente precisa para seu tratamento. Contate-nos a fim de saber nossa agenda, preços e serviços, no endereço Rua José Boganiko Sobrinho, 360, Piraquara, PR ou por telefone 24h, (41)3556-1511. Confira também o nosso site: http://tratamentodrogascuritiba.com.br/